NOVIDADES

MOVI’MENTE Kids

  • 20 Maio, 2019
  • O MOVI’MENTE Kids começou, no início deste ano letivo, com um misto de yoga, animal flow e mindfulness para crianças, bastante direcionado para o corpo, acima de tudo. Afinal, é uma atividade no Breathe Sport Fitness para crianças, no âmbito da oferta de um ginásio, como treino funcional, judo, etc. A atividade começou, timidamente, com brincadeiras, entre posturas de yoga e alguns jogos, mas o bom tempo e o Parque da Cidade a envolver permitiu-nos, desde cedo, ir para aquele verde. E que bom!

    A verdade é que tudo se transforma, e às vezes esquecemo-nos de dar espaço ao que possa surgir, se estivermos muito presos a expectativas. E tudo se transforma, quer a partir da própria natureza que ajuda a reencontrar a serenidade cá dentro, quer a própria dinâmica que construímos juntos.
    Numa altura em que a maioria reclama anos de trabalho como prova dada de experiência, insiro a chaveta aqui, do trabalho que tive a oportunidade de desenvolver (e desenvolvo!) com miúdos e graúdos (com vários perfis como população vulnerável, em situações de sem-abrigo), há uma tímida década, com ferramentas de comunicação (formação académica), yoga, entre várias outras.

    E, assim, o MOVI’MENTE é uma oficina, com crianças, neste momento, dos 6 aos 13 anos, em contexto fitness de desenvolvimento inter e intra pessoal, com objetivos semanais, dos pormenores discretos às coisas mais visíveis - “porque o essencial é invisível aos olhos” - entre a cidadania, educação ambiental, o imaginário e a atenção plena no presente, a consciência. Acima de tudo, brincar, abraçar e cultivar com amor e assertividade a atitude que somos, a onda do oceano e não pequenas gotas, separadas. Respiramos, passeamos, observamos-nos e a outros seres, aprendemos a respeitarmo-nos e aos demais.
    Eles ajudam-me a enraizar a terra, sorrindo para os sonhos no céu e, pelo meio, o coração repleto da pureza que (ainda!) partilham, cada vez mais perspicazes e capazes de transformar o mundo que querem(os) SER.

    maio 2019,
    Filipa Mora